segunda-feira, 30 de junho de 2014

MERA COINCIDÊNCIA.

Hoje, pela manhã, me deparei com essa lagarta perambulando pelo jardim de casa; fiquei intrigado com a bagagem que ela carregava - pequenos flocos que pareciam de algodão… A fotografei e fui pesquisar…

Os flocos são casulos com larvas de uma vespa, provavelmente Cotesia congregata. A vespa deposita suas larvas na lagarta e nela injeta substancias que paralisam a progressão dos estágios evolutivos impedindo a metamorfose; a lagarta nunca se transforma em borboleta mas continua se alimentando e às larvas da vespa; em alguns dias novas vespas saem dos casulos.

Trata-se, portanto, de um simples caso de parasitismo; uma das Relações Bióticas existentes na natureza; onde um ser (parasita) vive às custas de outro (hospedeiro) e qualquer semelhança com fatos e/ou pessoas conhecidas é mera coincidência.