quinta-feira, 17 de julho de 2014

“Jogar o lixo fora”

Dia desses, em família, conversando sobre o “falar brasileiro” surgiu a questão das ambiguidades na língua, tendo sido  citado como exemplo o verbo ganhar nas expressões “ganhar um presente” e “ganhar dinheiro”; afinal de contas, a que o verbo ganhar se refere? A algo gratuito como um presente ou a algo conquistado como um salário?

Essa semana me deparei com um artigo que aborda uma dessas ambiguidades e que traz uma reflexão importante, a qual condensei selecionando pequenos trechos: 

Lixo nos Andes - Agosto 2012

O CONSUMISMO E O GRANDE ERRO DA EXPRESSÃO: "JOGAR O LIXO FORA"

Dentre os vários conceitos errôneos que a modernidade ... têm produzido... tem um... que está contido na expressão: “jogar o lixo fora”. ... Para começar, devo dizer que embora sejamos obviamente seres naturais, a natureza ao contrário do homem, não conhece, não produz e nem admite a existência daquilo que chamamos lixo. ... efetivamente o lixo é um atributo exclusivo, definido e criado pelo Homo sapiens à revelia da natureza e dos mecanismos naturais. ... e a noção que está contida na expressão “jogar fora”, em lugar externo, é uma ilogicidade ... haja vista que ... todo o resíduo que nós produzimos e chamamos de lixo é depositado aqui... Quer dizer, “jogar fora” é algo que não existe,... tudo acontece DENTRO do Planeta Terra.

Luiz Eduardo Corrêa Lima -  24 de maio de 2014.

Para ler na íntegra:  http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/57018/o-consumismo-e-o-grande-erro-da-expressao-jogar-o-lixo-fora#!2#ixzz37d2L9qoD

Nenhum comentário:

Postar um comentário