sábado, 24 de novembro de 2012

Liberdade.

“Em tempo de vacas magras maxixe é iguaria”, diz o ditado popular… Em tempo de falta de inspiração a contribuição de amigos é providencial, digo eu.

Reproduzo, na íntegra, post enviado por um desses amigos:

LIÇÃO AOS PAIS

image

“Deixe que o menino mergulhe na vida

com o corpo livre e a alma limpa.

Tranque seus conceitos no fundo da arca,

ideal caduco, inútil sucata.

Que ele não repita sua vida parca.

Passe sete chaves para que nem um som escape.

Não deixe que repita sua vida escassa,

cultura viciada, áspera escarpa.

Não queira enquadrá-lo nos padrões vigentes

de uma sociedade suja e mercenária

que tem por medida de felicidade a conta bancária.

Deixe-o pássaro, não um cidadão

de um mundo tirano, só pagando imposto

taxa sobre taxa, consumindo grife, mastigando tralha.

Deixe que cultive ócio, amor, carinho.

Que odeie o ódio, ópio, colarinho.

Que ande descalço, mesmo se o caminho

for de asfalto quente, pedras e espinho.

Ele saberá, o instinto ensina,

a pisar de leve, a saltar por cima,

a pisar na sombra, levitar no espaço

a sempre evitar o trajeto escuso,

a iluminar o caminho escuro.

Tenha sempre em mente, desperto ou

no sonho, que desse menino, você não é o dono.

Não é proprietário da vida exultante,

no corpo e na alma de um ser pulsante.

Ele é o senhor do próprio destino,

do tino, canção transformada em

hino de sua emoção, herói, paladino.

Respeite esse homem

que é ser menino, ou essa menina,

que sendo mulher, será nesta vida

o que ela quiser.

E jamais esqueça: em qualquer idade,

a felicidade tem um nome santo:

Santa Liberdade.”

Reynaldo Jardim

Lembrei-me do livro Escuta Zé Ninguém de Wilhelm Reich.