sábado, 12 de novembro de 2011

Evolução e Desconforto.

Alguém, na minha adolescência, disse-me que o conforto amolece o homem; a princípio não acreditei mas, a partir daí, comecei a observar que, de fato, só quando em desconforto e  na tentativa de supera-lo, desenvolvemos algum atributo novo que é incorporado ao  nosso modus operandi; e tive que aceitar, embora relutantemente, que desconforto é estimulo evolutivo.

Esta semana chegou-me às mãos uma historia, atribuída a G. I. Gurdjieff, que corrobora isso e que reproduzo na totalidade:

“Na comunidade espiritual dirigida por Gurdjieff, na França, vivia um homem idoso que era a personificação do estorvo: irritadiço, bagunceiro, briguento, pouco asseado, incapaz de colaborar com quem quer que fosse. Ninguém  se dava com ele. finalmente, após muitos meses frustrantes tentando permanecer com o grupo, o homem foi embora para Paris.

Gurdjieff foi atrás dele para tentar convencê-lo a retornar. Mas a experiência tinha sido árdua demais, e o homem se recusou. Gurdjieff, porém, insistiu e chegou a oferecer-lhe uma paga mensal razoável se ele voltasse.

Dessa maneira ele aceitou voltar. Ao vê-lo de volta, porém, a comunidade ficou pasma. E ao saberem que aquele homem estava sendo pago (ao passo que eles tinham que pagar, e muito, para estarem lá), todos se revoltaram. Gurdjieff reuniu-se com eles e, depois de ouvir suas reclamações, deu risada e explicou:

- Este homem é como o fermento para o pão. Sem ele por perto, vocês jamais aprenderiam verdadeiramente o que é a ira, a irritabilidade, a paciência e a compaixão. É para isso que vocês me pagam, e é para isso que eu o contratei.”     

domingo, 6 de novembro de 2011

Ecomedicina.

Sempre boas as publicações do Ecomedicina mas, neste número, o artigo de Paulo Rosenbaum merece atenção e elogio especiais.

Internautas apoiam a oferta das práticas integrativas no SUS e a adesão ao selo social.

Qual a importância de oferecer acesso ao tratamento homeopático nas redes públicas de Saúde? O Ecomedicina fez esta pergunta em uma enquete realizada recentemente. Diante das opções: totalmente relevante, importante, indiferente e irrelevante, a grande maioria escolheu a primeira opção. Para 93,3% dos internautas que responderam à questão, é totalmente relevante que as práticas integrativas estejam disponíveis no SUS para toda a população.

Saiba também qual a opinião dos internautas sobre o Selo Social! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/campanha11.asp

II Simpósio de Acupuntura e I Seminário de Práticas Integrativos e Complementares serão realizados em São José dos Campos.

Discutir a inserção das Práticas Integrativas e Complementares na Saúde Pública e Privada e a realização de Provas de Títulos em Acupuntura pelos Conselhos de Classe Profissionais e por Entidades Associativas das diversas áreas da saúde; atualizar conceitos, evolução clínica e pesquisas em Práticas Integrativas e Complementares no âmbito das Universidades Públicas e Agências de fomento de Pesquisa, incluindo as pesquisas financiadas pelo SUS; e traçar um panorama das Práticas Integrativas no Vale do Paraíba. Este são os objetivos do II Simpósio de Acupuntura do Cefirval/Cebrafesp e do I Semipic - Seminário de Práticas Integrativas e Complementares do Vale do Paraíba.

Leia mais no Ecomedicina! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque41.asp

Para bem além da química: eletromagnetismo, lobismo e ceticismo seletivo.

Confira o artigo escrito para o Ecomedicina por Paulo Rosenbaum, Médico, PHd. pós-doutor em Medicina Preventiva pela FMUSP, Pesquisador associado da FMUSP e integrante do Grupo de Pesquisa do CNPq - “Racionalidades Médicas” do IMS- UERJ.

É autor do romance “A Verdade Lançada ao solo” (Editora Record). http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/artigo5.asp

Confira mais notícias:

CFF investe na qualificação de profissionais em Homeopatia e na Fitoterapia. http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista33.asp

A homeopatia na Faculdade de Farmácia da UFRJ. http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/testemunho22.asp