quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Educação.

Nesse corre corre cotidiano contemporâneo até acho bom as revistas mais antigas das salas de espera, folheio-as meio mecanicamente meio esperançoso, à cata de algo que amenize o tédio irritante da espera; às vezes acontece de ter a curiosidade ‘cutucada’ por algum título… Não gosto de muita coisa que leio, logo paro e recomeço a folhear; mas é do meu agrado o que Lya Luft escreve e ontem, em uma dessas salas de espera, dei de cara com um artigo escrito por ela para a revista Veja de setembro/11, intitulado Educação: reprovada… gostei!

Já sabia, como quase todo mundo sabe, do que lá está escrito, mas é bom reforçar… Falhas na educação não se restringem ao momento, provocam repercussões futuras impossíveis de avaliar antecipadamente, e as repercussões não se restringem ao educando, atingem a  sociedade como um todo.

Sentei-me nos bancos de escolas públicas até entrar na faculdade, comparar aquela escola com a atual é desanimador… O ensino era bom porque aqueles que ensinavam, a maioria mulheres, eram muito bons. Compartilho da opinião de que um dos motivos pelos quais aquelas professoras eram muito boas seria o fato de que, por uma restrição no mercado de trabalho, elas não tinham oportunidades profissionais em outras áreas de atuação; mas hoje as mulheres com conhecimento suficiente para substituírem aquelas são professoras universitárias, médicas, engenheiras, arquitetas, empresárias… ganham e se realizam melhor em outros ‘lugares’.

E, por favor, não me venham com a conversa da missão nobre, da vocação; nobreza e vocação não enchem barriga, não pagam contas, não fornecem capacitação adequada… Melhorem substancialmente o salário desses professores que aquela antiga condição de um ensino público eficaz retornará, pois assim mulheres e homens com vocação para o ensino poderão olhar de novo para ele.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

LIPOasPIRAÇÃO / insPIRAÇÃO.

Entro em ferias no final de dezembro e minha inspiração, apressada e pirada antecipou-se… entrou em novembro; como não escrevo nada sem ela fui procurar, nos guardados, alguma coisa que valesse a pena compartilhar; encontrei este artigo:

“Cirurgia de Lipoaspiração

Pelo amor de Deus, eu não quero usar nada nem ninguém, nem falar do que não sei, nem procurar culpados, nem acusar ou apontar pessoas, mas ninguém está percebendo que toda essa busca insana pela estética ideal é muito menos lipo e muito mais piração? Uma coisa é saúde outra é obsessão. O mundo pirou, enlouqueceu. Hoje, Deus é a auto-imagem. Religião é dieta. Fé, só na estética. Ritual é malhação. Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem. Gordura é pecado mortal. Ruga é contravenção.

Roubar pode, envelhecer não. Estria é caso de polícia. Celulite é falta de educação. Filho da puta bem sucedido é exemplo de sucesso. A máxima moderna é uma só: pagando bem, que mal tem? A sociedade consumidora, a que tem dinheiro, a que produz, não pensa em mais nada além da imagem, imagem, imagem. Imagem, estética, medidas, beleza. Nada mais importa. Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.

Não importa o outro, o coletivo. Jovens não tem mais fé, nem idealismo, nem posição política. Adultos perdem o senso em busca da juventude fabricada. Ok, eu também quero me sentir bem, quero caber nas roupas, quero ficar legal, quero caminhar correr, viver muito, ter uma aparência legal mas? Uma sociedade de adolescentes anoréxicas e bulímicas, de jovens lipoaspirados, turbinados aos vinte anos não é natural. Não é, não pode ser. Que as pessoas discutam o assunto. Que alguém acorde. Que o mundo mude. Que eu me acalme. Que o amor sobreviva.

“Cuide bem do seu amor, seja ele quem for”.”

image   Herbert Vianna

Espero que minha inspiração retorne antes do final de ano, caso contrário, já me precavendo, despeço-me de vocês que me lisonjeiam com suas visitas, desejando que usufruam do melhor que esta época do ano pode oferecer.

sábado, 12 de novembro de 2011

Evolução e Desconforto.

Alguém, na minha adolescência, disse-me que o conforto amolece o homem; a princípio não acreditei mas, a partir daí, comecei a observar que, de fato, só quando em desconforto e  na tentativa de supera-lo, desenvolvemos algum atributo novo que é incorporado ao  nosso modus operandi; e tive que aceitar, embora relutantemente, que desconforto é estimulo evolutivo.

Esta semana chegou-me às mãos uma historia, atribuída a G. I. Gurdjieff, que corrobora isso e que reproduzo na totalidade:

“Na comunidade espiritual dirigida por Gurdjieff, na França, vivia um homem idoso que era a personificação do estorvo: irritadiço, bagunceiro, briguento, pouco asseado, incapaz de colaborar com quem quer que fosse. Ninguém  se dava com ele. finalmente, após muitos meses frustrantes tentando permanecer com o grupo, o homem foi embora para Paris.

Gurdjieff foi atrás dele para tentar convencê-lo a retornar. Mas a experiência tinha sido árdua demais, e o homem se recusou. Gurdjieff, porém, insistiu e chegou a oferecer-lhe uma paga mensal razoável se ele voltasse.

Dessa maneira ele aceitou voltar. Ao vê-lo de volta, porém, a comunidade ficou pasma. E ao saberem que aquele homem estava sendo pago (ao passo que eles tinham que pagar, e muito, para estarem lá), todos se revoltaram. Gurdjieff reuniu-se com eles e, depois de ouvir suas reclamações, deu risada e explicou:

- Este homem é como o fermento para o pão. Sem ele por perto, vocês jamais aprenderiam verdadeiramente o que é a ira, a irritabilidade, a paciência e a compaixão. É para isso que vocês me pagam, e é para isso que eu o contratei.”     

domingo, 6 de novembro de 2011

Ecomedicina.

Sempre boas as publicações do Ecomedicina mas, neste número, o artigo de Paulo Rosenbaum merece atenção e elogio especiais.

Internautas apoiam a oferta das práticas integrativas no SUS e a adesão ao selo social.

Qual a importância de oferecer acesso ao tratamento homeopático nas redes públicas de Saúde? O Ecomedicina fez esta pergunta em uma enquete realizada recentemente. Diante das opções: totalmente relevante, importante, indiferente e irrelevante, a grande maioria escolheu a primeira opção. Para 93,3% dos internautas que responderam à questão, é totalmente relevante que as práticas integrativas estejam disponíveis no SUS para toda a população.

Saiba também qual a opinião dos internautas sobre o Selo Social! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/campanha11.asp

II Simpósio de Acupuntura e I Seminário de Práticas Integrativos e Complementares serão realizados em São José dos Campos.

Discutir a inserção das Práticas Integrativas e Complementares na Saúde Pública e Privada e a realização de Provas de Títulos em Acupuntura pelos Conselhos de Classe Profissionais e por Entidades Associativas das diversas áreas da saúde; atualizar conceitos, evolução clínica e pesquisas em Práticas Integrativas e Complementares no âmbito das Universidades Públicas e Agências de fomento de Pesquisa, incluindo as pesquisas financiadas pelo SUS; e traçar um panorama das Práticas Integrativas no Vale do Paraíba. Este são os objetivos do II Simpósio de Acupuntura do Cefirval/Cebrafesp e do I Semipic - Seminário de Práticas Integrativas e Complementares do Vale do Paraíba.

Leia mais no Ecomedicina! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque41.asp

Para bem além da química: eletromagnetismo, lobismo e ceticismo seletivo.

Confira o artigo escrito para o Ecomedicina por Paulo Rosenbaum, Médico, PHd. pós-doutor em Medicina Preventiva pela FMUSP, Pesquisador associado da FMUSP e integrante do Grupo de Pesquisa do CNPq - “Racionalidades Médicas” do IMS- UERJ.

É autor do romance “A Verdade Lançada ao solo” (Editora Record). http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/artigo5.asp

Confira mais notícias:

CFF investe na qualificação de profissionais em Homeopatia e na Fitoterapia. http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista33.asp

A homeopatia na Faculdade de Farmácia da UFRJ. http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/testemunho22.asp

domingo, 23 de outubro de 2011

Medicamentos, o uso inadequado.

Um colega enviou-me o link de uma reportagem sobre a Ritalina, medicamento cada vez mais usado no Brasil; como a reportagem não é muito favorável à droga, várias manifestações, de usuários que se beneficiam dela, aconteceram.

Natural as opiniões divergirem, pois cada um defende o ponto de vista que lhe é interessante e no qual acredita; mas que não tentemos tapar o sol com peneira, independentemente da capacitação e conduta de quem prescreve, medicamentos podem sim fazer mais mal que bem…E já que crianças não vão, por suas próprias pernas, aos consultórios médicos, no caso da Ritalina precisamos indagar: O uso do medicamento é de interesse da criança, da família ou da escola?

Se alface colhida em horta orgânica, lavada nas aguas puras de uma fonte, pode, dependendo das circunstâncias, fazer mal para quem a ingere, o que dizer de medicamentos? E o poder de malefício não se encontra propriamente no medicamento ou na alface, mas no uso inadequado dos mesmos, e isto é valido para toda e qualquer forma de terapia, e aí sim, entra em consideração a capacitação de quem a aplica ou prescreve.

Tomemos como exemplo a homeopatia… É voz comum que se homeopatia não fizer bem, mal não fará; triste engano, homeopatia pode fazer mal sim, e muito, e não estou me referindo às ‘agravações iniciais’, ou aos ‘retorno de sintomas’, que apesar de desagradáveis são indicadores de um tratamento adequado; me refiro às intoxicações e patogenesias que podem ocorrer em pessoas que usam medicamentos homeopáticos de forma inadequada. E o que é bastante interessante é que essas pessoas raramente associam esses efeitos indesejáveis ao medicamento homeopático exatamente porque acreditam que homeopatia não pode fazer mal.

Vejam a matéria completa sobre a Ritalina, inclusive as opiniões, em:  http://revistatrip.uol.com.br/revista/203/reportagens/geracao-ritalina.html

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Ativismo Quântico.

image

image

A idéia central do ativismo quântico é acreditar no ser humano e em sua capacidade de mudar o mundo e a si mesmo a partir dos princípios da física quântica; é contribuir para a transformação da atual visão de mundo, essencialmente materialista, para uma percepção baseada no primado da consciência.

Neste curso introdutório, o Dr. Amit Goswami oferecerá ao participante uma compreensão teórica e prática da física quântica e treinará potenciais multiplicadores que poderão aplicar em suas vidas pessoais e profissionais os conceitos de ativismo quântico.

image

domingo, 2 de outubro de 2011

Relacionamentos.

Um amigo me envia, regularmente, e-mails intitulados ‘minha reflexão da semana’; acabo de receber uma dessas reflexões:

“Buscar um relacionamento quando se está num alto nível de carência é como ir ao supermercado com fome… qualquer coisa serve!”

Coincidentemente, se é que coincidências existem, essa semana, uma jovem paciente disse ter um namorado e que o relacionamento é antigo, quase sete meses,  um carinha que, segundo ela, “até que é gente boa” e prosseguiu: “Sabe como é né doutor? Minhas amigas só tem ficantes, eu sou a única que tem namorado… Não tem muita química mas vou levando… Ficar sozinha é sinistro!”

Li, não me lembro onde, com referência à história “A princesa e o sapo”, que muitas mulheres beijam sapos esperando que eles virem príncipes, e ouvi, de outra paciente, esta mais velha e desiludida, que: “Atrás de todo príncipe tem um sapo”

Penso que homens e mulheres se ‘iludem’ de formas diferentes: As moças, que namoram rapazes ‘que até são gente boa’, acreditam que por amor a elas eles mudarão e se tornarão príncipes… Serão educados e atenciosos, arranjarão trabalho, irão parar de beber ou de consumir drogas e por aí afora; vai depender das características indesejáveis que eles apresentarem de acordo com a ótica delas.

Já os rapazes, alimentam a esperança de que elas, que são princesas, jamais mudarão… Elas os aceitam como são e serão sempre cordatas, cheirosas, apaixonadas, ‘gostosas’ e por aí afora; vai depender das características que eles julgarem desejáveis e enxergarem nelas…

Por acaso é preciso ser sábio para saber que ‘esse negócio não vai dar certo’?

sábado, 24 de setembro de 2011

Qualidade de vida.

Uma atitude que trouxe qualidade à minha vida foi meu afastamento da TV e das publicações ‘noticieiras’ que raramente mostram o que é realmente bom. Mas esse afastamento tem suas consequências, às vezes não fico sabendo ou demoro a saber de coisas que também trariam qualidade à minha vida, como é o caso do salmão das fazendas de piscicultura sobre o qual um amigo me alertou.

Não é que a danada da cobiça já envenenou o salmão? E eu achando que o peixe, por viver em alto mar e ser ‘atleta de corredeiras’, não podia ser confinado; santa, digo, demoníaca ignorância, por conta dela fui algumas vezes mais ao banheiro… Espero que fique nisso!  

Mas, do limão a limonada, estando a elaborar palestra sobre qualidade de vida, este ‘passar batido’ na historia do salmão fez com que eu me perguntasse: Será que, neste mundo insano, para termos uma vida melhorzinha, temos que, às vezes, ‘engolir’ algo ruim para não engolir coisas piores?

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Palestra/Convite.

Silvia Santana, coordenadora do Filosofando Agora enviou-me o folder da palestra que, a seu convite, irei proferir. Gostei de sua apresentação, principalmente da pergunta Mas será que isso basta? Não basta!… Como diria o ‘mineiro’ – “Atrás da serra tem mais serra”, uma  referência à topografia das terras mineiras mas também uma alusão a que o que se vê à primeira vista pode não revelar a total realidade.

Sintam-se convidados!

“Filosofia como Arte de Vida”

Apresenta a palestra:

Qualidade de vida –
um resultado de quê?

Palestrante:

Lister Vianei Borges

Médico Homeopata e psicoterapeuta.

----------------------

Praticar atividades físicas
Sorrir mais e dormir o suficiente
Comer menos e beber moderadamente
Ser positivo, proativo, solidário
Praticar hábitos saudáveis
Cultivar bons amigos
Amar e brincar
Dançar?
enfim.
Eis uma lista de conselhos que alguns médicos prescreveriam, além dos medicamentos, a seus pacientes para que os mesmos tenham saúde e qualidade de vida. Mas será que isso basta? Se não basta, onde estará o nó do conflito, do estresse, da depressão, dos vícios (alcoolismo e tabagismo)? Só para mencionar alguns dos males vivenciados numa das épocas em que mais se investe em tecnologias na área de saúde.

Venham conversar com Dr. Lister e tentar descobrir o seu caminho do meio...

----------------------

Data: 27/09/2011

Horário: 19 horas

Entrada : 01 lata de leite em pó

Local: Espaço Cultural do Mercado Municipal

 

Silvia Soares Sant’Ana

Coordenação Projeto Filosofandoagora

Mestre em Filosofia

Facilitadora do Método Orva

INFORMAÇÕES:

034 3083 0500

silviasfc@yahoo.com.br

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Consciência urbana.

Quinta feira, seis horas e cinquenta e cinco minutos, estaciono na pista lateral de uma movimentada avenida, ao lado de um cruzamento bastante movimentado…

Semáforo de quatro tempos, uma ambulância do corpo de bombeiros, sirene estridente anunciando sua aproximação, chega ao cruzamento…

Um motorista, apenas um entre dezenas, freia o automóvel que conduzia, provocando protestos do condutor do veículo atrás do seu. Os outros condutores, de carros de passeio, de utilitários, de motos, de coletivos,  continuam seu trajeto bloqueando o cruzamento e impedindo o avanço da ambulância como se ela não estivesse ali.

São doze horas e vinte e sete minutos, ainda estou incrédulo com o que presenciei… Fico imaginando se aquele motorista que, como bom cidadão, interrompeu seu trajeto por alguns poucos minutos continuará, sem titubear, parando quando ouvir uma sirene de ambulância...

Ecomedicina–Notícias.

MARCHA INSENSATA.

Qual o lugar das pessoas na nova conformação do trabalho industrial, nos serviços, na informalidade ou no trabalho algum? Com esta pergunta, Rogério Lannes Rocha, coordenador do Programa Radis começa o editorial da edição 108 da Revista Radis.

Confira! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/tema12.asp

DEMOCRACIA NA SAÚDE JÁ!

Não existem grandes empresas e ricos conglomerados no meio homeopático. Diante deste fato, o que fazer para garantir que a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS se torne, de fato, realidade?

Saiba mais!http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/campanha6.asp

Incra destaca o uso da Homeopatia no tratamento de ovinos e caprinos.

Em notícia publicada em seu site, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) aponta o tratamento homeopático de ovinos e caprinos como mais barato, saudável e ambientalmente correto e destaca a experiência de 20 criadores do assentamento Dom Matthias, no município baiano de Ipirá, com este tipo de terapia.

Leia mais! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia88.asp

Encontro em MG espera ajudar a vencer o paradigma da fragmentação em busca da totalidade quântica.

Confira! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista29.asp

Congresso Brasileiro de Farmácia Homeopática e Simpósio do GIRI serão realizados simultaneamente em Foz do Iguaçu.

Saiba mais! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque35.asp

A experiência do Rio Grande do Norte na aprovação da Política Estadual de Práticas Integrativas

Confira!  http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/testemunho18.asp

Expediente
Homeopatia Ação Pelo Semelhantewww.semelhante.org.br
E-mail : semelhante@semelhante.org.br

Tel.: (+55 21) 2255-1934/2255-9190

domingo, 21 de agosto de 2011

Quebra cabeça.

Na linha ‘mantenha seu cérebro vivo’.

Este Quebra cabeça não é difícil, mas mesmo assim é interessante.

domingo, 14 de agosto de 2011

Qualidade de Vida – Palestra.

Aceitei um convite para proferir palestra sobre qualidade de vida - oportunamente comunicarei local e data- comecei a revisar o assunto para estabelecer roteiro, assuntos a abordar, confeccionar slides, em suma, comecei a trabalhar para ‘fazer bonito’…

Falar sobre o quê? Alimentação? Exercícios? Lazer?… Tantas formulas, tantas sugestões, tantos pontos de vista que não encontrei o fio da meada, se pudesse, mudaria o título da palestra… De: QUALIDADE DE VIDA - Um resultado de quê?, para: QUALIDADE DE VIDA – Inúmeras Possibilidades.

Quino, com Mafalda, apareceu em meu socorro:

Digitalizar0002 Já que existem circunstâncias e condições prévias, que podem facilitar ou dificultar que acatemos as orientações para um bem viver, abordarei o assunto sob esta perspectiva, e o título da palestra pode permanecer o mesmo.

Digitalizar0001

domingo, 31 de julho de 2011

Ecomedicina – Notícias.

A oferta da Homeopatia. 

Em 1978 a Organização Mundial da Saúde (OMS) abriu a perspectiva dos debates sobre o cuidar de forma integral, inclusive, com o uso de práticas não biomédicas da saúde e em 2002, propôs que até 2005 os países instituíssem em seus Serviços de Saúde Pública, a Medicina Tradicional e as Medicinas Alternativas e Complementares. No Brasil, em maio de 2006, foi publicada a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), que traz as estratégias para a implementação da homeopatia e outras práticas no Sistema Único de Saúde (SUS). Diante disso, como estaria a oferta da Homeopatia no SUS dos 645 municípios do Estado de São Paulo? Esta pergunta foi o ponto de partida do trabalho desenvolvido pela médica Wania Galhardi em sua tese de doutorado e é sobre este trabalho o artigo que ela escreveu para o Ecomedicina.         Confira!http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/tema11.asp

Agro Homeopatia: caminho para saúde, preservação do meio ambiente e sustentabilidade.

Aumentar a resistência da planta e sua massa de forma homogênea e o controle de pragas, contribuindo para que um novo modelo de agricultura surja e se desenvolva, permitindo o consumo de alimentos saudáveis, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade. Este é o objetivo de Gerson Vitor Dalmolin, médico homeopata com título de especialista pela Associação Médica Brasileira e especialista em Ginecologia e Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira que se dedica a pesquisas na área de Agro homeopatia. Nesta entrevista ao Ecomedicina ele fala do trabalho que vem realizando e traça um panorama da Agro- homeopatia, hoje, no Brasil.                                      Confira! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista28.asp

Democracia na Saúde JÁ! conquista adeptos no Congresso de Farmácia e Bioquímica de Minas Gerais.  

Em sua 11ª edição, o Congresso de Farmácia e Bioquímica de Minas Gerais manteve a missão de zelar pela ética, qualificar, defender e servir a profissão farmacêutica. Tendo entre seus temas Homeopatia e Fitoterapia, o congresso contou com a participação de Hylton Sarcinelli Luz, presidente da Ação pelo Semelhante. Ele apontou a Política Nacional de Práticas Integrativas como um grande avanço para a democracia e a sociedade brasileira, mas que, segundo ele, corre o risco de jamais sair do papel. Para evitar que esta previsão negativa se concretize, Hylton indicou o caminho que tem recebido apoio e adesão da sociedade: o abaixo-assinado da Democracia na Saúde JÁ! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/campanha2.asp 

Sociedades homeopáticas declaram apoio à nota técnica do MS sobre o uso da Homeopatia no tratamento e na prevenção à dengue.   

Deixar claro para o Ministério da Saúde que os médicos homeopatas estão interessados em implantar intervenções de forma conjunta. Este é o propósito da declaração que diversas sociedades homeopáticas fizeram em apoio à nota técnica sobre o uso da Homeopatia no tratamento e na prevenção a dengue elaborada e divulgada pelo ministério. O documento foi enviado pelo correio e por e-mails para o gabinete de ministro da Saúde, a Secretaria de Vigilância em Saúde, a Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Dengue, o Departamento de Atenção Básica, o Departamento de Gestão Participativa, a Coordenação de Nacional de Práticas Integrativas e a Secretaria de Assistência à Saúde.                                                                   Saiba mais! http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia85.asp

sábado, 9 de julho de 2011

Metamorfose.

Nunca fui muito ‘ligado’ a carros, para mim são como ferramentas, a gente usa quando precisa realizar uma tarefa; carro é a ferramenta que me leva aonde preciso ir e tem que estar funcionando direito, por isso tenho mais cuidado em escolher o mecânico que o lavador.

Mas até em propagandas dizem que brasileiro é apaixonado por carros… Não concordava, achava que era ‘papo de vendedor’, mas Luis Fernando Veríssimo colocou dúvidas em minha cabeça ao, em um de seus livros(1), escrever:

“…

Outra paixão misteriosa é a do homem pelo seu carro. Ou não tão misteriosa. A sensação de que basta espremer um pequeno acelerador para ter vários cavalos de força sob seu comando é um dos maiores prazeres que o mundo moderno proporciona ao homem. O homem e a máquina são uma coisa só. O motor é a sua energia, o sistema elétrico são seus nervos em perfeita sincronia, os pneus são suas garras de tigre devorando distâncias sem esforço, a gasolina é seu sangue, as prestações a pagar são seus vínculos com a realidade e com seus limites humanos.”

Também reafirma o fato de que muitos de nós, se não todos, mudamos de comportamento quando  ‘ao volante’, transformando o que deveria ser um pacífico ir e vir numa luta pela sobrevivência:

“…

Fora do carro, você está preparado para fazer todas as concessões em nome da cortesia e da boa convivência. Você é respeitoso, pacífico, solícito – enfim, um pedestre. Mas entre no seu carro e veja o que acontece. A civilização desaparece, a besta toma conta. Alguns racionalizam esta transformação e explicam que só agem assim em legítima defesa. Precisam se defender de palermas que querem deter a sua marcha e só estão esperando uma oportunidade para arranhar seu pára-lama e roubar sua vaga. Ou seja, todos os outros motoristas. O inimigo.”

E ainda conclui magistralmente:

Não é por nada que Sigmund Freud nunca quis ter automóvel. Sabia de todas as suas conotações simbólicas. Preferia uma charrete. Que, curiosamente, ele chamava de “mamãe”.”

(1)Paixões, do livro O Melhor das Comédias da Vida Privada.

domingo, 3 de julho de 2011

“Cérebro de pipoca”

São Paulo, domingo, 03 de julho de 2011

GILBERTO DIMENSTEIN
Cérebro de pipoca


Pesquisadores detectam há tempos distorções, como a compulsão para se manter conectado, como um vício

“O GOOGLE anunciou na semana passada um projeto para enfrentar o Facebook, disposto a reinventar a mídia social. A notícia teve óbvio impacto mundial e despertou a curiosidade sobre mais uma rodada de inovações tecnológicas, capazes de nos fazer ainda mais conectados.
No dia seguinte, porém, o Facebook reagiu e anunciou para esta semana uma novidade também de grande impacto, possivelmente em celulares. Para alguns psicólogos americanos, esse tipo de disputa produz um efeito colateral: um distúrbio já batizado de "cérebro de pipoca".
Esse distúrbio é provocado pelo movimento caótico e constante de informações, exigindo que se executem simultaneamente várias tarefas. Por causa de alterações químicas cerebrais, a vítima passa a ter dificuldade de se concentrar em apenas um assunto e de lidar com coisas simples do cotidiano, como ler um livro, conversar com alguém sem interrupção ou dirigir sem falar ao celular. É como se as pessoas tivessem dentro da cabeça a agitação do milho explodindo no óleo quente.
A falta de foco gera entre os portadores do tal "cérebro de pipoca" um novo tipo de analfabetismo: o analfabetismo emocional, ou seja, a dificuldade de ler as emoções no rosto, na postura ou na voz dos indivíduos, o que torna complicado o relacionamento interpessoal.”

Para ler a matéria completa acesse: http://sergyovitro.blogspot.com/2011/07/gilberto-dimenstein-cerebro-de-pipoca.html

sábado, 25 de junho de 2011

Felicidade

Frei Beto escreveu, um amigo me enviou e como gostei repasso…

Ao viajar pelo Oriente mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China.

Eram homens serenos, comedidos, recolhidos e em paz nos seus mantos cor de açafrão.
Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente.

Aquilo me fez refletir: 'Qual dos dois modelos produz felicidade?'
Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: 'Não foi à aula?' Ela respondeu: 'Não, tenho aula à tarde'. Comemorei: 'Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde'. 'Não', retrucou ela, 'tenho tanta coisa de manhã... '. 'Que tanta coisa?', perguntei. 'Aulas de inglês, de balé, de pintura, piscina', e começou a elencar seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: 'Que pena, a Daniela não disse: 'Tenho aula de meditação!'
Estamos construindo super-homens e super-mulheres, totalmente equipados, mas emocionalmente infantilizados.
Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias!

Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito.

Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: 'Como estava o defunto?'. 'Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!'

Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa?
Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo é virtual. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo é virtual. Somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais. E somos também eticamente virtuais...
A palavra hoje é 'entretenimento'. Domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: 'Se tomar este refrigerante, calçar este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá!' O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose.
O grande desafio é começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista.

Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental, três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.
Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno.

Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center.

É curioso: a maioria dos shoppings centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingo.

E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...
Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela musiquinha de esperar dentista.

Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas.

Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório.

Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno...

Felizmente, terminam todos na eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do Mc Donald...
Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: 'Estou apenas fazendo um passeio socrático.

Diante de seus olhares espantados, explico: 'Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas.

Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia:

‘Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz!’.”

sábado, 11 de junho de 2011

Jogo de números.

Na linha ‘mantenha seu cérebro vivo’.

Este joguinho é ótimo; a contagem é feita pelos segundos que você leva para acertar os números.

O que você tem que fazer é andar com o cursor sobre os números em ordem crescente, 1, 2, 3 e assim por diante até chegar ao 33.

Tente baixar o tempo em segundos...

Use cérebro para jogar.

domingo, 5 de junho de 2011

Dia do Meio Ambiente.

28-Flor de maioAs flores desta foto, que já esteve no cabeçalho, estão desabrochando e são prova viva da fantástica capacidade da natureza de produzir maravilhas quando as condições do meio são favoráveis.

DSCF3075a

Trago-as, em imagem, para celebrar o dia 05 de junho que, desde 1972, por iniciativa da Assembléia Geral das Nações Unidas é considerado o Dia Mundial do Meio Ambiente.

sábado, 28 de maio de 2011

Física Quântica x Fast Food.

Saí da palestra A Dimensão Quântica do Ser na Saúde Integral, proferida por Wallace de Liimaa, surpreendido com a simplicidade dos conceitos; apesar de fazer parte de um grupo que estuda física quântica há algum tempo eu ainda a pensava como coisa complicada; mas não existe nada de complicado, ela permeia nosso dia a dia e estamos de tal maneira acostumados a ela que nem a percebemos.

Na minha prática médica, digo àqueles que me procuram, que a pessoa que alimenta adequadamente seu corpo, sua mente e sua alma (terreno) raramente adoece, pois seu sistema imunológico é eficaz… Em sua palestra Wallace cita a divergência entre o cientista Pasteur e o fisiologista Claude Bernard à respeito do que consideravam causa de adoecimento, Pasteur desfaz a discordância, em seu leito de morte, com a frase “Claude Bernard estava certo, o micróbio não é nada, o terreno é tudo”.

Chegando em casa encontro, em minha caixa de e-mails, uma mensagem que versa sobre uma parceria do  Ministério da Saúde com a rede McDonald's dentro do programa “Amigos da Saúde”; como se fast food, seja de que bandeira for, fizesse bem à saúde! Não faz, desequilibra o terreno de quem ingere.

Estas ‘coincidências’ é o que a Física Quântica denomina Hierarquia Entrelaçada

Muitas pessoas assinarem a Petição Pública que acompanha referida mensagem e com isso conseguir que “seja retirado o endosso do Ministério da Saúde à rede de lanchonetes McDonalds e que sejam elaborados critérios mais adequados para a inclusão de “parceiros” no programa “Amigos da Saúde” é o que em Física Quântica se denomina Colapso de Onda.

Vamos colapsar essa idéia assinando a Petição?

domingo, 22 de maio de 2011

‘Dê a Cezar o que é de Cezar’.

Sempre foram comuns, mais agora nesta maluquice contemporânea, dois tipos inter-relacionados de comportamentos…

O de pessoas compassivas que sempre se preocupam com os outros, que deixam as próprias necessidades de lado e acodem as necessidades alheias… São elogiadas como altruístas e algumas chegam a um tal grau de altruísmo, em detrimento da própria vida, que as batizei suicidárias ou suicidas solidárias.

Na contrapartida, o comportamento de pessoas que se colocam como prioridade, exploram os outros e muito raramente pensam em quem quer que seja, só em si mesmas… São as pejorativamente designadas egoístas e que se dão muito bem quando encontram uma, ou mais, daquelas ditas altruístas…

Comecei a avaliar mais detalhadamente esses comportamentos e observei algo interessante que me suscitou dúvidas…

Uma pessoa, dita egoísta, que busca que outra faça tudo por ela, sendo por isso criticada e a outra elogiada, estaria sendo, inconscientemente, altruísta?

Uma pessoa, dita altruísta, que busca fazer tudo por outra, sendo por isso elogiada e a outra criticada, estaria sendo, inconscientemente, egoísta? 

De novo, a validade de antigas filosofias?

Há séculos é dito que ‘O equilíbrio está no meio’, e pessoas sadias não fazem ou pedem excessivamente, elas assumem suas responsabilidades e entregam as outras a quem de direito; o que é também um preceito bíblico - ‘Dê a Cezar o que é de Cezar’.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

O que é saúde?

Uma leitora deste blog disse que escrevo pouco sobre saúde, que deveria, por exemplo, escrever sobre alergias, pois que homeopatia é muito bom para alergias.

Tentei, julgo que em vão, fazê-la compreender que escrever sobre essas coisas é escrever sobre doenças e não sobre saúde e que já existem escritos suficientes sobre elas.

Mas, analisando a questão sob o ponto de vista dela, eu realmente escrevo pouco sobre ‘saúde’, umas poucas receitas de fitoterápicos, uns poucos perfis de medicamentos homeopáticos, algumas noticias do Ecomedicina e só; na maioria das postagens abordo o que julgo inadequado no comportamento humano na tentativa, que espero não seja vã, de realçar uma contrapartida mais coerente com um viver harmonioso.

Mais foi bom ela ter-me dito aquilo, deu-me oportunidade de pensar nas diversas definições de saúde e reafirmar o que é, de fato, saúde.

Deparamos-nos com diversas definições, cada uma delas representante de uma forma de pensar o humano, cada uma delas verdade parcial a respeito de um ser cuja magnitude está longe de ser alcançada… Por alguma delas temos que nos nortear ao cuidar de outrem... Penso que, independente de pela qual se opte, ela deverá ser acrescida de um conceito encontrado nos adeptos da cura quântica – O equilíbrio está na coincidência entre o que necessitamos e o que desejamos; se desejo mais ou menos do que necessito estou em desequilíbrio. Considero este conceito bastante próprio e até atrevo-me a dizer que ele não apenas extrapola o somático mas abarca todas as nuances do viver e dá, na lide do cuidar, parâmetros bastante abrangentes e seguros.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

Ação pelo semelhante – Notícias.

-Vacina da gripe produz pneumonia, ou será coincidência?
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque24.asp

-Plantas medicinais e fitoterápicos no SUS: o caminho que vem sendo trilhado por MT.
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista21.asp

-Santos realiza fórum sobre as Práticas Integrativas e Complementares na rede pública. http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia72.asp

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Akatu – Tudo a ver.

Dia desses, bem cedinho, levando meus filhos para a escola…

Na grade de um bueiro, várias garrafas plásticas de refrigerante vazias, muitos copos descartáveis e outros ‘bagulhos’…

Minha filha comentou – “Teve festa por aqui ontem”.

Pensei em escrever sobre o assunto, fui dar uma pesquisada para não escrever besteira e encontrei o site akatu.org.br, o que me poupou o trabalho.

Na Wikipédia – “A palavra Akatu vem do tupi e significa, ao mesmo tempo, semente boa e mundo melhor. É o que o Akatu propõe: que os consumidores se tornem sementes boas para a construção de um mundo mais sustentável. Representa a convicção de que um mundo melhor está contido nos gestos cotidianos de cada pessoa.”

Entrem lá, tem tudo a ver com as necessidades atuais do bem viver, inclusive com a realização de festas mais sustentáveis.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

Ayurveda, Viver.

Vale a pena conferir.

Ayurveda encontroCondições de participação:

Número de vagas: 40 pessoas. (para a realização do curso é preciso, no mínimo, a inscrição de 30 pessoas)

Valor do investimento: R$ 350,00 (trezentos e cinqüenta reais), pagos no ato da inscrição. Aceitamos propostas de pagamento desde que a data limite seja 03 de junho de 2011.

No valor do investimento estão incluídas as despesas de hospedagem, todas as alimentações ovo-lacto-vegetariana e o curso-oficina.

É preciso levar consigo:

  • Alegria no coração.

  • Desejo de promover o seu bem-estar.

  • Vontade de aprender.

  • Roupas leves.

  • Roupas e acessórios para banho. (inclusive para piscina)

  • Esteira ou canga para quem desejar fazer as aulas de yoga e meditação.

  • Roupas de cama.

  • Caderno e caneta para anotações.

Os interessados devem se dirigir a: Hudson, haresh@uol.com.br - tels: (34) 9170 6800 (TIM) ou 9992 0080 (CTBC).

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Ação pelo semelhante – Notícias.

-Macaé distribui remédios homeopáticos em campanha contra a dengue.

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia70.asp

-Faculdade do Paraná oferece especialização em Fitoterapia.

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque23.asp

sábado, 30 de abril de 2011

Bolsos vazios e corações intranqüilos – 2.

“Não existe coração tranquilo com bolsos vazios...” disse meu amigo…

Conheço pessoas que independente de sua real situação sempre se dizem apertadas, de bolsos vazios… O que ‘bolsos vazios’ significa de fato?

Totalmente vazios?

Vazios sempre?

Vazios às vezes?

Vazios no meio do mês? Como dizem muitos- “Sempre sobra mês no fim do meu salário”?.

Vazios assim que termina o mês?

Vazios depois de colocadas as sobras na poupança?

Vazios após satisfeitos os planos de aplicações e investimentos e/ou após viagem internacional de longa duração?

Vazios como? Vazios quando?…

Nos primórdios, o que determinaria a quantidade de comida que um humano poderia levar para sua caverna seria, simbolicamente, o tamanho da clava que ele tivesse capacidade de usar; maior a clava maior a caça; só que não existiam geladeiras e não era prudente ou conveniente tentar abater um animal maior do que se poderia comer... Hoje não mais portamos clavas, não mais caçamos, compramos coisas nas lojas; a clava foi substituída pelo ‘contra-cheque’, quanto maior o ‘contra-cheque’ mais se pode levar para as cavernas contemporâneas que, por meandros, podem se estender até às ‘suíças’ do capital - verdadeiras geladeiras de dinheiro.

Esses assuntos já foram abordados em postagens passadas - Concordo com a fala de meu amigo somente quando os corações ficam intranqüilos pela subsistência estar imediatamente ameaçada ou a curto prazo, nos outros casos a intranqüilidade não se justifica, trata-se de instabilidade emocional provocada por conceitos equivocados ou pura e simplesmente ganância.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Ação pelo semelhante – Notícias.

clip_image002

“Quando a nossa existência ou as liberdades são postas em risco, nossas mentes acionam as sirenes que alertam dos perigos que estão por vir”, escreve Miriam Sommer…http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/tema9.asp

O caminho encontrado por Minas Gerais para fazer da PNPIC uma realidade.
Thaís Corrêa de Novaes, da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, fala sobre a implantação da PNPIC, indicando dificuldades e desafios e apontando caminhos possíveis.
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/testemunho14.asp

Vitória (ES) está investindo em pesquisas para avaliar se a Homeopatia é efetiva no tratamento e prevenção da dengue. Em sua opinião, por que outros municípios afetados pela doença não fazem o mesmo? Participe da nova enquete do Ecomedicina! ttp://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/index.asp

sábado, 23 de abril de 2011

Bolsos vazios e corações intranqüilos.

“Não existe coração tranquilo com bolsos vazios...” disse meu amigo…

Acho que o dinheiro foi uma invenção e tanto!

Imagine um médico, ou qualquer outro cidadão, ao final de uma jornada de trabalho, levando para casa mercadorias recebidas em paga por seus serviços e, no bolso, vales diversos: Vale oficina, vale barbeiro, vale escola, vale livro, vale injeção e até vale cafuné?!

A vida não seria uma doideira maior do que já é?

E o que esse cidadão teria que levar consigo para comprar uma geladeira?

Ou numa viagem?

E para comprar um carro?

Não dá nem para imaginar…

Sem dúvida o dinheiro sepultou o escambo e se garantiu como ótima invenção; o problema começou quando ele parou de ser visto como fator de troca, lhe foi dado valor próprio e passou a ser estocado por tempo indeterminado; e fico imaginando como seria a vida se os dinheiros, como as mercadorias, tivessem prazo de validade. De novo a mesma historia, o mal não está na coisas, mas no uso que das coisas se faz.

Mas acabei não escrevendo sobre bolsos vazios e corações intranqüilos… Deixa prá lá… Escrevo na próxima.

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Homem – Animal racional.

Ontem à noite, sonolento, navegando à deriva, dei ‘com os costados’ em:

http://www.cerebronosso.bio.br/exercite-seu-cerebro/

Brinquei um pouco… Tem uns joguinhos legais. Continuei no site e ao esbarrar em Rampas magnéticas minha mente divagou…

“O Homem é um animal racional” disse Aristóteles, e racionalidade é função mental, dizem todos… Das partes do humano, grosso modo - corpo, mente e alma; é da mente que mais nos orgulhamos e vangloriamos, já com relação às outras não é bem assim que procedemos.

Do corpo, que pode doer e incomodar, em geral cuidamos compulsoriamente e da alma…

- Alma? Ah é! Depois vejo isso.

O mais interessante é que, das partes, se é que partes existem, a mente é a mais, talvez a única, passível de engano; nossas confusões, nossas dúvidas, nossas ilusões, passam sempre pelo mental; as emoções que tanto nos alteram, são sentidas no corpo mas, são entendidas, nomeadas e elaboradas na mente e é aí que o ‘bicho pega’ pois, não existem fígados calmos com mentes irritadas, rins tranquilos com mentes medrosas ou pulmões alegres com mentes tristes.

Um amigo que viu esta postagem antes de sua publicação emendou: “Não existe coração tranquilo com bolsos vazios...”. Concordo em parte, mas  isso são ‘outros quinhentos’ e merece outra postagem.

terça-feira, 19 de abril de 2011

AÇÃO PELO SEMELHANTE – Notícias.

Ecomedicina

clip_image002 

Agrotóxicos: os riscos e os caminhos para evitar males para a saúde.

Uma pesquisa realizada recentemente pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) indicou a presença de resíduos de agrotóxicos no leite materno de mulheres de Lucas do Rio Verde, cidade de 45 mil habitantes a 350km de Cuiabá. Foram coletadas amostras de leite de 62 mulheres, 3 delas da Zona Rural, entre fevereiro e junho de 2010. A presença de agrotóxicos foi detectada em todas. A notícia assustou e levantou a questão: que consequências o consumo de alimentos com agrotóxicos pode trazer para a saúde? Para responder a esta pergunta, o Ecomedicina entrevistou Mário Renck Real, médico veterinário e diretor técnico da Real H.
Confira!
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista20.asp

LHRS comemora 70 anos.

Voltada, exclusivamente, para promover a solidariedade por meio da homeopatia, a Liga Homeopática do Rio Grande do Sul (LHRS) completa 70 anos de atividade. "Um projeto valioso que sobrevive em meio a um deserto de iniciativas análogas, voltada tanto para o propósito de educar e difundir a homeopatia para o público leigo e profissional, quanto para garantia de acesso à assistência homeopática para população em desvantagem econômica e social", comenta Hylton Sarcinelli Luz, presidente da Ação pelo Semelhante. Para comemorar, a data, será realizada uma cerimônia no dia 16 de abril, em Porto Alegre (RS).
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque22.asp

Envie esta mensagem para os seus relacionamentos. Promova o cyberativismo homeopático.

Expediente
Homeopatia Ação Pelo Semelhante www.semelhante.org.br
E-mail : semelhante@semelhante.org.br Tel.: (+55 21) 2255-1934

domingo, 17 de abril de 2011

Botica Caseira – Hemorróidas.

babosa2 Supositórios de Aloe vera – Congele as folhas da babosa, retire e despreze a casca, corte a polpa em pedacinhos semelhantes a supositórios, conserve no congelador.

Use nas crises da doença hemorroidária, confere alivio imediato.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Botica Caseira – Estômago.

Espinheira Santa

GASTRITE, AZIA, DISPEPSIA e outros males estomacais: Chá de Espinheira Santa.

Colocar uma colher de sobremesa de folhas picadas de Espinheira Santa em uma chávena, acrescentar água fervente; aguardar esfriar, coar e tomar antes das principais refeições. Não adicionar açúcar, pode-se acrescentar algumas folhinhas de Hortelã.

domingo, 10 de abril de 2011

AÇÃO PELO SEMELHANTE – Notícias.

clip_image002Pesquisa testa remédios homeopáticos em pacientes com dengue no Espírito Santo

O Espírito Santo está pesquisando, por meio de uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) com a Secretaria Municipal de Saúde de Vitória, a utilização da Homeopatia no tratamento da dengue. Na fase atual, estão sendo acompanhados casos de dengue nas Unidades de Saúde dos bairros São Pedro, Jardim Camburi e Praia do Suá, na capital. Esse acompanhamento será feito até o mês de junho ou até quando a pesquisa atinja a amostra de 186 pacientes. A partir daí, serão analisados os dados para avaliação dos resultados.
Saiba mais no Ecomedicina!
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia68.asp

Política Estadual de Práticas Integrativas legitima a Homeopatia em Vitória

Em vigor desde 2008, a Política de Práticas Integrativas do Espírito Santo é uma conquista que abriu caminho para outras. Foi a política que legitimou, por exemplo, a oferta de tratamento homeopático integral em Vitória e o estudo do uso da Homeopatia na prevenção e no tratamento da dengue, realizado também na capital. É sobre estas conquistas que a coordenadora de Práticas Integrativas e Complementares da Secretaria de Estado de Saúde, Ana Rita Vieira de Novaes, fala nesta entrevista.
Confira!
http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista19.asp

Envie esta mensagem para os seus relacionamentos. Promova o cyber ativismo homeopático.
Expediente
Homeopatia Ação Pelo Semelhante www.semelhante.org.br
E-mail : semelhante@semelhante.org.br Tel.: (+55 21) 2255-1934

_______________________________________________

Mobilização médica 2.

A postagem anterior (05/04) provocou comentários e indagações de pacientes e de leitores deste blog, alguns fazendo vínculo direto do profissional médico aos convênios, como se o convênio fosse o médico e vice-versa e não compreendendo muito bem a razão da paralização; parecia ignorarem que o médico, no final das contas, é um ‘contratado’ que executa um trabalho – Exceto UNIMED na qual os médicos são cooperados.

Por essa razão volto a esse assunto para publicar parte da reportagem que o jornal MEDICINA, do Conselho Federal, trouxe em sua edição 194 de março deste ano.

…”Com a mobilização busca-se justamente a melhoria na oferta de serviços aos pacientes, que atualmente chegam a esperar até três meses para a marcação de uma consulta em algumas especialidades ou procedimentos. Sem contar com os problemas causados pela glosa de procedimentos solicitados.

Pesquisa do Datafolha revela que 92% dos médicos credenciados reclamam que as operadoras interferem nos diagnósticos e nos tratamentos dos pacientes.”

A reportagem lista as reivindicações, as ações programadas e também aborda o fato de que, apesar de estarem bem financeiramente, as operadoras dos convênios não remuneram adequadamente os médicos, como demonstrado nas tabelas abaixo.

Convenio 1 Convenio 2

Botica Caseira – Unhas frágeis.

UNHAS QUEBRADIÇAS E ONICOMICOSE– Aplicar iodo a 2% diariamente – pode ser adicionado à base do esmalte.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Mobilização médica.

Assunto: mobilização nacional médicos

Paralisação nacional.

Robson Azevedo, presidente da Comissão de Dignidade e Defesa
Profissional, informa que no dia 07 de abril de 2011, data em que é
comemorado o Dia Mundial da Saúde, o atendimento aos pacientes dos planos de saúde em todo o Brasil será paralisado. Contamos com o seu  apoio.
mobilização nacional médicos

domingo, 3 de abril de 2011

Palavras ao vento.

Recebi, por e-mail, o texto abaixo:

“ENTUSIASMO
A palavra entusiasmo vem do grego e significa "ter um deus dentro de si". Os gregos eram politeístas, isto é, acreditavam em vários deuses. A pessoa entusiasmada era aquela "preenchida" por um dos deuses e por isso poderia transformar a natureza e fazer as coisas acontecerem.  Assim, se você fosse entusiasmado por Deméter (deusa da Agricultura, chamada Ceres na mitologia romana) você seria capaz de fazer acontecer a melhor colheita, e assim por diante.  Segundo os gregos, só as pessoas entusiasmadas eram capazes de vencer os desafios do cotidiano, criar uma realidade ou modifica-la. Portanto, era preciso entusiasmar-se, ou seja, "abrigar um deus em si"!
Por isso, as pessoas entusiasmadas acreditam em si, agem com serenidade, alegria e firmeza. E acreditam igualmente nos outros entusiasmados.  Não é o sucesso que traz o entusiasmo, é o entusiasmo que traz o sucesso. O entusiasmo é bem diferente do otimismo.
Otimismo significa esperar que uma coisa dê certo. Entusiasmo é acreditar que é possível fazer dar certo.”

Como gostei muito da origem da palavra e por não constar o autor fui procurar seu nome para reconhecer-lhe os créditos… Encontrei vários endereços que publicaram tal texto e, entre eles, um que o trouxe completo e terminando assim:

“Deixe de lado todo o seu negativismo.

Deixe de lado o ceticismo.

Abandone a descrença e seja entusiasmado pela sua vida

e principalmente entusiasmado com você.

VOCÊ VERÁ A DIFERENÇA.

(Autor desconhecido)”

Uma pena que esse ‘desconhecido’ não tenha escrito como fazer isso; ele pouparia muito trabalho aos psicoterapeutas, muito sofrimento a seus pacientes e todos lhe seriam eternamente gratos.

A rede, as revistas e até livros, que são mais dispendiosos,  estão repletos desses conselhos mágicos para alcançar o bem estar que o homem busca há séculos. Fácil de dizer difícil de fazer – Sinceridade? ‘Palavras ao vento’, por mais bem intencionadas que sejam, me dão preguiça; mesmo eu sendo ‘entusiasmado’ por Hygeia.

Hygeia (Higéia) --- Deusa da Saúde.

sábado, 2 de abril de 2011

Homeopatia sob ataque.

Como os antagonistas da Homeopatia não conseguiram, por mais que tentassem, impedir que as pessoas a usem em seu benefício, estão agora tentando impedir o acesso a ela e a outras formas de tratamento natural; coisas do ‘Capital’, travestido de preocupação com a saúde coletiva, mais uma vez tentando cercear a livre escolha. Mas podemos dar nosso parecer votando.

Recebi este e-mail do Ecomedicina e repasso-o na íntegra.

O uso da Homeopatia no tratamento da dengue

Em 2010, com dengue pela segunda vez, a administradora de empresas e bancária aposentada Ioshiko Nobukuni tinha uma convicção: não queria tomar paracetamol ou dipirona. “Da primeira vez que tive dengue quase fui a óbito por causa do paracetamol e a dipirona não me aliviou em nada. Disse aos médicos: ‘vou tomar o Proden, porque pesquisei’", lembra Ioshiko.

A decisão foi acertada, como você pode conferir na notícia publicada no Ecomedicina.

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia67.asp

Projeto quer proibir uso de medicamentos naturais na Europa

O uso de medicamentos naturais pode estar com os dias contados na Europa. Um projeto pretende votar a proibição do uso de remédios naturais – sejam eles óleos essenciais, plantas medicinais, chás ou medicamentos homeopáticos – nos países que compõem a União Européia a partir de abril de 2011. Para tentar impedir que isso aconteça, foi criado um abaixo-assinado.

Saiba mais sobre o projeto e como participar do abaixo-assinado no Ecomedicina!

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/destaque20.asp

Observação:

Por motivos operacionais, na semana passada não enviamos o informativo, seguem os links abaixo com as notícias;

Paracetamol e dengue: quando o remédio se transforma em risco

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/entrevista18.asp

Fórum ajuda a dar visibilidade às Práticas Integrativas Complementares

http://www.ecomedicina.com.br/site/conteudo/noticia66.asp

Envie esta mensagem para os seus relacionamentos. Promova o cyberativismo homeopático.

Expediente
Homeopatia Ação Pelo Semelhante www.semelhante.org.br
E-mail :
semelhante@semelhante.org.br Tel.: (+55 21) 2255-1934

domingo, 27 de março de 2011

Lentas mudanças.

Um amigo sugeriu que eu colocasse uma foto de fundo no Homeopatia.Med para melhorar seu visual, como não encontrei, entre minhas fotos, alguma que me agradasse plenamente, resolvi produzir uma… Nessa faina dei com os olhos em uma preciosidade que ganhei, anos atrás, de outro desprendido amigo que também é homeopata - O livro

Livro Dr.Bruckner Fiz as fotos que acabei não usando e, fã de livros, aproveitei para, cuidadosamente, dar uma folheada nessa raridade necessitada de restauração e, novamente,  admirei o prefacio do Dr. Nilo Cairo que, por ser muito longo, resolvi compartilhar em parte… 

Prefacio 1

Prefacio 2

Prefacio 3

Prefacio 6 Excetuando o fato de que atualmente, nos Estados Unidos, poucos médicos prescrevem medicamentos homeopáticos, esse prefácio, escrito há 87 anos, é atualíssimo e me chamou a atenção o que o autor escreveu à respeito dos comportamentos arraigados; lembrou-me as referências da postagem Condição Humana / Hábitos de 07/03/2010…E fui procurar…Nilo Cairo (1874 -1928), William S. Sadler (1875 - 1969) e Moshe Feldenkrais (1904 - 1984) por bons anos andaram ao mesmo tempo por aqui, talvez tenham se conhecido ou conhecido o trabalho uns dos outros, não importa, o que importa mesmo é a validade dos conceitos e vou parar por aqui pois o fim de semana passa rápido e ‘A curiosidade matou o gato’.

domingo, 20 de março de 2011

Botica Caseira.

Circulam ‘boca a boca’ e também pela internet receitas e mais receitas de medicamentos caseiros; mesmo sem comprovação oficial muitas delas prestam excelente ajuda nas mazelas do dia a dia. Tenho selecionado algumas que julgo mais eficazes e, apesar de não ter experimentado todas, as publicarei em:

 Botica Caseira na coluna lateral (Sidebar) deste blog.

Serão recebidos de bom grado contribuições de novas fórmulas e relatos dos resultados do uso das que forem publicadas o que contribuirá, paulatinamente, para uma coletânea de maior eficácia.

É necessário atenção ao fato de que as pessoas respondem de forma particular aos medicamentos sendo que o uso das receitas não dispensa o acompanhamento médico.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Botica Caseira – Gases.

FunchoChá de funcho (Foeniculum vulgare) tem ação anti-espasmódica.

A base da haste pode ser usada como alimento; os frutos, que são chamados de sementes, são empregados na forma de chá como estimulante das funções digestivas, para combater cólicas e eliminar gases.

Triture uma colher de chá de sementes, coloque em 250 ml de água fervente e deixe descansar por 10 a 15 minutos. Beber várias vezes ao dia sem açúcar.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Botica Caseira – Repelente.

REPELENTE:

1/2 litro de álcool;

1 pacote de cravo da Índia (10 gr);

1 vidro de óleo de nenê (100ml)

Deixe o cravo curtindo no álcool por quatro dias, agitando pela manhã e à tarde.
Depois coloque o óleo corporal (pode ser de amêndoas, camomila, erva-doce, aloe vera).
Uma gota nos braços e pernas repele os mosquitos. Também espanta formigas da cozinha e dos eletrônicos, afasta as pulgas dos animais.

OBS. Usar com parcimônia, o cheiro forte pode ser desagradável para algumas pessoas.

domingo, 6 de março de 2011

Olhos da alma.

A algazarra das maritacas, na jabuticabeira da casa vizinha à minha, chamou-me a atenção… Quando, menino ainda, me mudei para Uberlândia, esta cidade era muito menor; vim morar a duas quadras de onde moro hoje, mas a paisagem e a vida que eu vislumbrava eram diferentes e, entre outras coisas, era comum observar, além dos atrevidos pardais; rolinhas, tizius e coleirinhas nos terrenos baldios perto de casa. O que antes era quase periferia da cidade hoje é centro e, apesar de continuar vendo pardais e algumas rolinhas, não vejo tizius nem coleirinhas; mas vejo pássaros que antes, ariscos, não se acercavam. Pombas do bando pernoitam nas árvores das praças centrais, bem-te-vis me acordam bem cedo, curicacas ‘adquiriram’ um espaço na caixa d’água de um edifício e tucanos freqüentamimage o alto dos prédios.

Porque esses pássaros mudaram de comportamento? Na realidade não mudaram, só mudaram de lugar, tornou-se mais viável para eles viver nas cidades; a vida nos descampados produzidos pelo desmatamento é desconfortável e mais arriscada; mas o comportamento é o de sempre, e é instintivo... Sobreviver da melhor maneira possível ainda é a ‘palavra de ordem’.

Me indago porque nós, humanos; que também estamos passando por ‘maus pedaços’; não fazemos como os pássaros, usamos nosso instinto de sobrevivência e nos mudamos. Mas mudar para onde? Não há para onde mudar, e mesmo se houvesse não adiantaria muito, provavelmente tudo iria ser repetido pois, infelizmente, levaríamos conosco nossas ‘tralhas’ mentais, nosso comportamento adoecido, nossa cegueira...

Talvez seja isso! Talvez devamos mudar de médico… Vamos procurar o oftalmologista, mas que seja um especialista em olhos da alma e que possa nos fazer voltar a enxergar por eles, já que instinto é atributo da alma e não da mente...

É verdade! Pássaros não têm uma mente suficientemente desenvolvida para atrapalhar a visão dos olhos da alma, por isso, para eles é bastante mudar de lugar.